Pirandello em Portugues


Indice
Introdução
Lívio Panizza - Macho e femea no teatro Pirandelino
Obras
1909A luz da outra casa
1914A realidade do sonho
1917A senhora Frola e o senhor Ponza
1919A patente

Luigi Pirandello (1867-1936) nasceu em Girgenti, na Sicília. Estudou Filologia em Roma e em Bona. Autor de uma obra vasta, Pirandello escreveu diversos romances que foram compilados sob o título de Novelle per un anno (15 vols., 1922-37). Dos seus seis romances, os mais conhecidos são Il fu Mattia Pascal (1904), I vecchi e i giovani (1913), Si gira (1916), e Uno, nessuno e centomila (1926). É no teatro que Pirandello detém uma vasta obra. Escreveu um vasto número de dramas que foram publicados, entre 1918 e 1935 e compilados em Maschere nude (Máscara nua). Este título é programático. Pirandello está sempre concentrado no problema da identidade. O eu existe para Pirandello apenas em relação aos outros; consiste na mudança de facetas que escondem um abismo inescrutável. Numa peça como Cosí é (se vi pare) (1918), duas pessoas detêm percepções contraditórias sobre uma terceira pessoa. A protagonista de Vestire gli ignudi (1923) tenta firmar a sua identidade ao assumir diversas identidades; gradualmente apercebese da sua verdadeira posição na ordem social e no fim morre «nua», sem máscara social, aos seus próprios olhos e dos amigos. Similarmente em Enrico IV (1922) um homem supostamente louco imagina que é um imperador medieval, e a sua imaginação e a realidade são estranhamente confusas.

O conflito entre ilusão e realidade é central em La vita che ti diedi (1924). A análise e dissolução de um eu unificado é levado ao extremo em Sei personaggi in cerca d’autore(1921) onde o próprio palco, o símbolo da aparência versus realidade, é o centro da peça. As atitudes expressas em L’Umorismo (1908), uma das primeiras peças, são fundamentais em todas as peças de Pirandello. Luigi Pirandello faleceu a 10 de Dezembro de 1936.


Seis personagens à procura de autor é uma das peças mais conhecidas de Pirandello. Escrita em 1921, Seis personagens à procura de autor, relata um ensaio de teatro. O ensaio é invadido por seis personagens que, rejeitadas por seu criador, tentam convencer o diretor da companhia a encenar suas vidas. No início, o diretor fica perturbado por ter seu ensaio interrompido, mas aos poucos começa a interessarse pela situação inusitada que se apresenta diante de seus olhos. As personagens o convidam a encenar suas vidas, mostrando que mereciam ter uma chance. Com isso, acabam convencendoo a tornarse autor. As discussões entre as personagens e o diretor compõem uma análise filosófica do teatro. Assim, o peso da peça dividese entre a narrativa em si, e os aspectos paratextuais, que ganham a cena. Diretor e personagens discutindo constroem também uma querela de formas de fazer teatro. As personagens, tentando mostrar ao diretor que suas vidas são reais, em relação ao palco, e ele defendendo a relatividade do que está sobre o palco, toma como parâmetro a vida “real“. A peça entra, assim, em um outro aspecto: tornase um estudo metalingüístico do teatro, a arte discutindo a si mesma. A forma de representação proposta pelo diretor não é aceita pelas personagens Não querem ser representadas pelos atores da companhia. Afinal, como alguém poderia representar melhor a vida de uma personagem do que ela própria?

Indice
Introdução
Lívio Panizza - Macho e femea no teatro Pirandelino
Obras
1909A luz da outra casa
1914A realidade do sonho
1917A senhora Frola e o senhor Ponza
1919A patente

Se vuoi contribuire, invia il tuo materiale, specificando se e come vuoi essere citato a
pirandelloweb@gmail.com